Saiba quais são os danos causados pelo excesso de chapinha

óleo do coco repara cabelo ressecado

Você é daquelas pessoas que gostam de manter os cabelos maravilhosos o tempo todo? Claro né, caso contrário não estaria aqui em nosso blog repleto de dicas de beleza. Mas saiba que não é preciso incluir finalizações com fontes de calor em seu ritual diário para ter os cabelos sempre intactos. Afinal, o excesso de chapinha pode causar sérios danos aos cabelos.

 

A seguir, te contamos quais são os danos causados pelo excesso de chapinha e como minimizar esses danos.

 

Mulher passando chapinha demais
Veja o que acontece com o cabelo com excesso de chapinha. | Foto: Freepik.

 

Danos causados pelo excesso de chapinha

Antes de contarmos como se dá esse dano, é necessário explicar como funciona a sua estrutura capilar:

 

Cada fio de cabelo nosso possui camadas em sua estrutura, chamadas cutículas. As cutículas são espécies de escamas que, quando seladas, protegem o córtex, que é a parte interna dessa estrutura.

 

1- Ressecamento e perda de nutrientes

Quando o cabelo sofre alguma agressão, essas escamas se abrem, expondo a estrutura dos fios a danos como o excesso de porosidade, ressecamento, quebra, queda, e perda de ativos como a proteína e a queratina, que são absolutamente necessárias para a manutenção desse “castelo de cartas”.

 

2- Queima dos fios

As fontes altas de calor são as principais vilãs entre os agressores de cabelo. Isso porque, assim como o sol machuca a pele, o excesso de chapinha, secador, babyliss e outros modeladores machucam os cabelos.

 

Sabe quando você queima sua pele sem querer com um desses instrumentos? Então, a agressão é a mesma. A diferença é que os cabelos não possuem sistema nervoso, então você não sente dor. Mas isso não quer dizer que você não esteja queimando os seus fios, entende?

 

3- Fraqueza e queda

O uso em excesso de chapinha danifica os cabelos, enfraquecendo os fios e, em contato com a raiz, pode até gerar queda.

 

Em geral, todo cabelo é afetado pelo atrito com o calor, mas devemos destacar que alguns se prejudicam mais rapidamente pelo excesso de chapinhas que outros. É o caso dos cabelos cacheados, crespos e com químicas, justamente os cabelos das pessoas que mais adoram usar chapinha para modelar os fios…

 

4- Maiores danos em crespos, cacheados e com química

Os cabelos cacheados e crespos são naturalmente mais secos devido às suas ondas super estreitas que formam molinhas. Isso quer dizer que o óleo natural do cabelo tem dificuldade de percorrer pelos fios.

 

Sem o óleo selando as cutículas, os cabelos ficam mais porosos e queimam com mais facilidade. Isso acontece com os cabelos com químicas como descoloração e selagem, que ficam mais secos e porosos, queimando mais rápido.

 

5- Desbotamento de tinturas

Os cabelos com coloração podem até ter o seu tom alterado pelo calor do excesso de chapinha e de outros equipamentos.

 

É importante lembrar que o excesso se dá não só pelo uso diário da modelagem com calor, mas também por repetir o processo várias vezes em cada mecha, usar temperatura alta e colocar a fonte de calor muito próxima aos fios e à raiz.

 

Como reparar os danos causados pela chapinha?

Isso quer dizer que você nunca pode usar chapinha e outros modeladores? Na verdade, pode, só não o tempo todo e em grande intensidade.

 

Para minimizar os danos do excesso de chapinha (porque, sim, haverão danos) o recomendável é regular a temperatura com cuidado. Obviamente, quanto mais quente a temperatura, mais o cabelo é danificado. Existe uma temperatura máxima que os fios podem aguentar.

 

Cabelo sem excesso de chapinha
Existem cuidados que podem ajudar a minimizar os danos ocasionados pelo uso excessivo de chapinha | Foto: Freepik.

 

Temperatura

Uma pesquisa feita pela USP na Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) e no Instituto de Química (IQ), analisou o efeito do atrito por altas temperaturas na estrutura capilar de diversas etnias.

 

Em sua experiência, o cabelo crespo sofreu com desnaturação (perda de proteínas) em uma temperatura próxima de 223°, enquanto outros tipos de cabelo começaram a perder proteínas ao chegar em torno 236°.

 

Lembra que dissemos que quanto mais curva a estrutura de um fio mais propenso ele é ao ressecamento? Então, os danos do cabelo crespo aconteceram mais rapidamente.

 

Lembrando que secadores e modeladores em temperatura igual ou maior que 250° geram danos irreversíveis à estrutura dos fios de qualquer cabelo.

 

Para minimizá-los, prefira usar equipamentos com regulagem de calor, assim você pode se guiar pelos números e escolher a melhor a temperatura.

 

Na dúvida, os cabelos finos ou coloridos podem modelar suas madeixas entre 90° e 140°, temperatura suficiente para chapar sem grandes danos.

 

Cabelos um pouco mais grossos podem ser alisados em temperatura média de 175°. Já cabelos crespos e mais grossos pedem no máximo 200° para conseguirem ser modelados. Lembre-se de nunca atingir ou passar dos 250°.

 

Protetor térmico

Usar protetor térmico nos fios é o mesmo que usar protetor solar na pele. Você não usa protetor sempre que se expõe ao sol? É hora de usar um protetor para os cabelos também.

 

Esse produto minimiza os danos do atrito com calor em cerca de 50%.

 

Ritual de cuidado capilar

Antes de escovar ou chapar os cabelos, lembre-se de que cabelos bonitos são cabelos saudáveis.

 

Para evitar cabelos danificados por excesso de química e chapinha, é importante sempre investir em tratamentos como hidratação e umectação, além de fazer um cronograma capilar.

 

Um cronograma ajuda a manter a frequência certa de reposição de nutrientes e hidratação que é proporcionada por tratamentos capilares e por uma alimentação saudável.

 

E, ao realizar estes tratamentos, prefira sempre produtos low poo ou no poo, ou seja, sem agentes agressivos como sulfatos, parabenos e silicones, que ressecam os cabelos e os deixam mais sensíveis aos danos do secador, da chapinha e outros modeladores.

 

Você também pode aderir ao uso de misturinhas com máscaras de tratamento e óleos vegetais, como o de coco e o de babosa, que são altamente hidratantes.

 

Esses óleos naturais ajudam a fechar as cutículas abertas pelo excesso de chapinha e outros agressores externos como sol, vento, poeira, químicas, água do mar ou de piscina. Seus efeitos são potencializados se somados ao uso de máscaras de tratamento de qualidade.

 

Hoje em dia, inclusive, existem produtos com óleos vegetais na composição. Suas moléculas são quebradas de forma a penetrar ainda mais no cabelo.

 

Outro “ingrediente” muito importante para estrutura dos fios é a queratina. Este, inclusive, já está presente naturalmente nos cabelos, mas sofre perdas com a ação do calor. Em sua busca pela recuperação dos cabelos, procure produtos ricos em queratina.

 

E por último, na hora de secar os cabelos, use a toalha delicadamente e, se possível, prefira as de algodão, podendo até ser uma camiseta. Isso ajuda a diminuir o atrito com os cabelos.

 

Na hora de pentear, prefira usar um pente largo e fazer essa etapa da finalização dos fios antes que eles sequem totalmente, evitando a quebra.

 

Todo esse cuidado é importante para fortalecer as cutículas do cabelo, ou melhor, o seu “escudo capilar”, antes de qualquer ação térmica.

 

Agora que você já sabe como se proteger do excesso de chapinha e a importância dos tratamentos capilares na manutenção dos fios, te convidamos a dar uma olhadinha no site do Slow Beauty. A marca conta com produtos super nutritivos, hidratantes, sem sulfatos ou parabenos, perfeitos para a hidratação e nutrição dos fios antes e depois da chapinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *